Volume de oferta do boi gordo segue diminuindo, abrindo espaço para altas

BAGAN, MYANMAR (BURMA) - Aug 21, 2017: A herd of white zebu cows cattle walking through fields in rural Bagan, Myanmar, Burma, South East Asia, during peaceful serene sunset. Asian farming

Tendência é que haja maior espaço para elevalção dos preços no próximo período de virada de mês, de acordo com o analista de Safras & Mercado.

O mercado físico do boi gordo registrou preços firmes nesta quinta-feira (9). Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o cenário atual ainda é de maior propensão a reajustes, uma vez que as escalas de abate não avançaram de maneira satisfatória no transcorrer da semana.

O volume de animais terminados é cada vez menor, com a safra do boi gordo aproximando-se do seu limiar. “A tendência é que haja maior espaço para alta dos preços no próximo período de virada de mês. Além disso, o final do lockdown e a retomada das exportações entre as unidades frigoríficos que foram provisoriamente embargadas pela China torna o quadro mais animador, considerando a mudança do perfil de compra entre as indústrias habilitadas a exportar com destino ao mercado chinês”, assinalou Iglesias.

Com isso, em São Paulo, Capital, a referência para a arroba do boi ficou em R$ 309,00 na modalidade à prazo. Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 280,00.

Já em Cuiabá, a arroba ficou indicada em R$ 273,00. Em Uberaba, Minas Gerais, preços a R$ 275,00 por arroba. Em Goiânia, preços a R$ 277,00 a arroba

Boi gordo no atacado

O mercado atacadista do boi gordo volta a apresentar preços firmes. O viés de alta permanece, pois o ambiente de negócios ainda sugere por alguma alta dos preços no curto prazo, em linha com a entrada dos salários na economia, motivando a reposição entre atacado e varejo. “No entanto o padrão de consumo delimitado para 2022 ainda aponta para a predileção por proteínas mais acessíveis, a exemplo do frango e dos ovos”, disse Iglesias.

O quarto traseiro permanece precificado a R$ 22,15 por quilo. A ponta de agulha segue precificada a R$ 15,50 por quilo. Quarto dianteiro foi cotado a R$ 15,90 por quilo.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão em alta de 0,59%, negociado a R$ 4,9180 para venda e a R$ 4,9160 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 4,8670 e a máxima de R$ 4,9210.

Fonte: Canal Rural

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Soja: preços caem cerca de R$ 5 por saca no Brasil, seguindo Chicago

Contratos futuros negociados na CBOT tiveram a quarta sessão seguida de perdas Os preços da…

Boi gordo: preços seguem firmes com oferta restrita; arroba em SP vai a R$ 320

Animais padrão China permanecem muito demandados no mercado, carregando ágio de até R$ 30, de…

Plano Safra 2022/23 pode ser lançado na quarta-feira que vem (29)

Segundo presidente da FPA, deputado Sérgio Souza, volume de recursos e taxas de juros do…