Mercado de grãos segue impactado por guerra; trigo e milho têm alta de 5%

background-different-types-groats-corn-seeds-chickpeas-red-lentils-buckwheat-rice-top-view

As preocupações com o fluxo de grãos e oleaginosas produzidos na Rússia e na Ucrânia seguem impulsionando os preços no mercado internacional
O governo russo alertou os moradores de Kiev, capital da Ucrânia, para que deixam seus lares. Um ataque russo atingiu uma torre de TV na cidade. O sentimento é de que, diante das sanções econômicas e do avanço menor que o esperado, o presidente russo Vladimir Putin prepara uma ofensiva mais destrutiva. A segunda rodada de negociações entre os dois países deve ocorrer amanhã, possivelmente na fronteira da Polônia e Belarus.
No mercado, as tensões aumentaram. Petróleo, gás natural e commodities ampliam seus ganhos. Os grãos negociados em Chicago também rompem barreiras. Já as bolsas de valores fecharam em baixa na Europa e encaminham fortes perdas no fechamento em Wall Street. Os títulos dos governos americano e alemão estão em baixa.

Na tarde desta terça (1º), o petróleo para abril tinha alta de 9,3% em Nova York a US$ 103,70 o barril. Em Londres, a alta era de 7,57%, com o Brent acima de US$ 105,00 na posição abril. O gás natural subia 24%.

Na Europa, as ações fecharam com perdas consistentes. Paris caiu 1,86%; Londres, 1,72% e Frankfurt recuou 3,67%. O dólar sobe na comparação com outras moedas e o Index Dollar tinha alta 0,71%. Os índices acionários americanos tinham perdas entre 1,5% e 2,1%.

Commodities
As preocupações com o fluxo de grãos e oleaginosas produzidos na Rússia e na Ucrânia seguem impulsionando os preços das commodities agrícolas na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT). O movimento é liderado pelo trigo, que sobe mais de 5% e atinge o maior patamar em mais de 14 anos.
O temor é que o conflito se estenda por um longo período e que as exportações ucranianas fiquem impedidas. As sanções à Rússia acrescentam temor sobre o comportamento da oferta global, com os compradores avaliando alternativas de abastecimento de trigo, milho e oleaginosas.

Os portos da Ucrânia seguirão fechados durante o conflito e o mercado avalia também problemas de logísticas no território ucraniano em decorrência dos ataques. Importantes transportadoras de contêineres anunciaram que estão interrompendo suas rotas para a Rússia.

Importante frisar que Rússia e Ucrânia, juntas, são responsáveis pelas exportações de 29% do trigo global, 19% do milho e 80% do óleo de girassol.

Os contratos com entrega em maio do trigo têm elevação de 5,35% e estão cotados a US$ 9,84 por bushel. O milho tem alta de 5,06% a US$ 7,25. A soja sobe 2,55% e tem preço de US$ 16,78 por bushel. O café fechou com alta de 1,33% em Nova York. O açúcar subiu 3,61% e o algodão sobe 2,95%.

 

Fonte: Canal Rural.
https://www.canalrural.com.br/noticias/internacional/mercado-de-graos-segue-impactado-por-guerra-trigo-e-milho-tem-alta-de-5/
Foto: Freepik.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Superávit acumulado da balança comercial em maio é de US$ 2,7 bilhões

A média diária das exportações registrou, nas duas primeiras semanas de maio, aumento de 12,8%,…

Superávit com exportações do agronegócio cresce 20% em São Paulo

Em janeiro, as exportações do agronegócio no estado registraram aumento de 12,8% no faturamento, alcançado…

Mercado de grãos segue impactado por guerra; trigo e milho têm alta de 5%

As preocupações com o fluxo de grãos e oleaginosas produzidos na Rússia e na Ucrânia…