Colheita no Brasil pressiona cotações do milho

front-view-fresh-yellow-corns-with-peels-grey-food-meal-color

Os preços do milho iniciaram a semana passada em alta, mas voltaram a recuar no encerramento do período

Os preços do milho iniciaram a semana passada em alta, mas voltaram a recuar no encerramento do período. Segundo pesquisadores do Cepea, no começo da semana, as cotações foram sustentadas pela alta nos valores externos, que, por sua vez, subiram diante de preocupações com o clima quente e seco nos Estados Unidos, que poderia atrapalhar o desenvolvimento das lavouras.

 

Veja as cotações do milho aqui.

Conforme dados do boletim informativo do Cepea, já a divulgação de dados de oferta e demanda do Estados Unidos voltou a pressionar as cotações internacionais e, consequentemente, brasileiras. E as quedas internas acabaram sendo acentuadas pelo bom ritmo da colheita de segunda safra, que fez com que produtores estivessem mais flexíveis nas negociações, especialmente os do Centro-Oeste, onde as atividades estão mais intensas.

 

Do lado dos consumidores, muitos se mostram abastecidos ou no aguardo de recebimento de lotes adquiridos antecipadamente. Diante disso, as negociações seguem limitadas no spot.

fonte: agrolink

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Condição da safra de milho nos EUA piora na semana, aponta USDA

O USDA disse que 58% da safra de milho dos EUA apresentava condição boa ou…

Preços da soja ficam em baixa no Brasil. Chicago sente queda do petróleo

Nos subprodutos, a posição setembro do farelo fechou em US$ 431,40 por tonelada e óleo…

Brasil exportou 9% a menos de soja no 1º semestre em comparação a 2021

Menor embarque para a China e quebra de safra justificam o recuo No primeiro semestre…